Quem Somos
A escola pioneira no Brasil a desenvolver a educação a distância como modalidade de estudo.
mais de
80 mil
alunos ativos
desde 1939
6 MILHÕES
de alunos matriculados
30% EAD
DO MERCADO NACIONAL
Sobre

O Instituto Monitor é a escola pioneira no Brasil a desenvolver a Educação a Distância (EAD) como modalidade de estudo. Tudo começou quando o imigrante húngaro Nicolás Goldberger aportando no Brasil, trouxe seu conhecimento técnico em eletrônica e resolveu instalar um pequeno negócio na região central de São Paulo em outubro de 1939. 

O prédio do então Instituto Radiotécnico Monitor, localizado na Rua Timbiras, acabou tendo um papel fundamental para a região e que faz parte da marca do Monitor: Transformação. Periodicamente, alunos do Instituto Monitor de todos os lugares chegavam ao prédio do Monitor para realizar provas, compartilhar conhecimentos e, também, procurar por peças para seus equipamentos. 

Esse movimento passou a ser tão intenso que acabou estimulando o estabelecimento de um comércio crescente de eletroeletrônicos na região, fazendo da Santa Ifigênia um polo conhecido em todo o país. Com o passar dos anos, a ampliação do portfólio de cursos do Monitor levou o grupo a ir muito além de cursos de eletrônica: foi acrescentada toda uma gama de cursos técnicos, profissionalizantes, supletivos e especialização, conduzindo o Monitor a buscar um novo lugar para sua sede, mais adequada a esse crescimento.

História

O lugar escolhido em 2008 foi o bairro do Brás, berço da cidade e da história de São Paulo, o que auxiliou no crescimento da região e contribui com movimentos da comunidade que já buscavam a reurbanização da região.

Já no ano 2018, o Monitor deu mais um importante passo ao lançar a Faculdade Monitor. Além de ser a primeira instituição de ensino superior da região, também criou incentivos específicos para quem mora ou trabalha no bairro. Isso mostra o compromisso do Monitor em facilitar o acesso ao conhecimento e estudo, seja democratizando seu método de ensino, seja investindo para transformar seu entorno.

Instituto Monitor
Memórias do Ensino a Distância no Brasil

Nasce a primeira escola moderna de cursos por correspondência no mundo, a ICS – International Correspondence School, em Scranton – Estados Unidos. O foco principal dos cursos desta escola eram na área de mecânica e eletrônica. Seus alunos estudavam através de lições enviadas por carta, recebendo kits didáticos de autoaprendizagem que contribuíam nos conhecimentos dos testes teóricos.

1896

Em outubro, é fundado o Instituto Radiotécnico Monitor. O primeiro curso oferecido é o radiotécnico e esta seria a primeira iniciativa bem-sucedida de educação a distância no Brasil. Naquela época, o rádio era o que havia de mais moderno, assim como o equivalente do computador nos dias de hoje.


Em dezembro, a Marinha lança o curso por correspondência para oficiais (Legislação Nacional - Art.7º do Decreto nº 5077)

1939

Nicolás Golderger, com o sócio Jacob Wargaftig, formalizam um contrato com a Fundação do Instituto Radiotécnico Monitor, estabelecido na Rua Santo Amaro. Em julho de 1941, o Instituto Monitor é transferido para a Avenida Ipiranga. No final deste mesmo ano, a sociedade entre Nicolás e seu sócio Jacob é desfeita. Em 1942, o Instituto Monitor lança o curso de Eletrônica e é transferido para a Rua Aurora. Devido a alta demanda de alunos, o curso torna-se extremamente popular. Fornecedores de equipamentos eletrônicos passam a se instalar na atual região da Santa Efigênia em São Paulo, de forma a atender o Instituto, tornando o local um polo de referência nesta área.

1940

O Instituto Monitor lança a Revista Monitor de Rádio e Televisão e, em 1949, Nicolás adquire um terreno, na Rua dos Timbiras, no bairro de Santa Ifigênia, para a instalação da sede própria em um edifício de 3 andares. Em 1950, o Instituto Monitor se muda para o novo endereço e o grupo Monitor com as empresas Radiotécnica Aurora, Tipografia Aurora e Indústria Continental. O primeiro milhão de alunos é registrado e a divulgação dos cursos se populariza nos jornais e revistas da época, sempre oferecendo o sucesso profissional como forma de engajamento. Nenhuma escola, na época, usava o marketing como forma de conseguir alunos, sendo o Monitor pioneiro também nessa estratégia.


1947

Instituto Monitor diversifica e apresenta novos cursos: Contabilidade, Corte e Costura, Química Industrial, Desenho Arquitetônico e Técnico. Em 1955, o curso de Rádio é atualizado para adaptação das novas tecnologias. Em 1956, a legislação do Estado de São Paulo (Lei nº 3.344) estabelece regras para o ensino profissional por correspondência. Inicia-se neste momento a atenção do Estado para este tipo de modalidade.

1951

Nessa década, a Tipografia Aurora intensifica suas atividades como editora de livros técnicos. O Instituto Monitor cria um novo curso preparatório para os exames de Madureza e anuncia em revistas, em quadrinhos e fotonovelas, como Grande Hotel, buscando atingir o público jovem. Em 1964, o material de Rádio e TV do Instituto Monitor passa por atualização. O segundo milhão de alunos é mensurado.

1960

A Lei Federal nº 5692, cap. IV, prevê, para as suplências de nível fundamental e profissional, a utilização da TV colorida, e assim os materiais de Rádio e TV do Instituto Monitor recebem encartes em cores sobre os novos equipamentos de televisão. O terceiro milhão de alunos é auferido e a Revista Monitor de Rádio e Televisão produzida e editada pelo Instituto torna-se referência para os fãs de eletrônica.


Neste período, um jovem rapaz chamado Marcos Cesar Pontes se interessa pela leitura destas edições e sem imaginar, começa a definir sua trajetória de vida, que culminaria ao primeiro brasileiro no espaço.

1971

O Instituto Monitor Participa do VII Seminário da Associação Brasileira de Teleducação (CE). No evento, a UNESCO apresenta um texto que reafirma a educação por correspondência como uma das formas de suprir demandas educacionais e enaltece a iniciativa do Instituto Radiotécnico Monitor.

1976

Em 1983, o MEC lança o documento "Diretrizes e Bases para o Estabelecimento da Política de Informática no Setor de Educação, Cultura e Desporto" como forma de dar atenção aos cursos por correspondência. O economista e empresário Roberto Palhares, adquire a representação da ICS – International Correspondence School no Brasil, trazendo um competidor de peso na Educação a Distância. Na época, chamava-se Escolas Internacionais e sua sede ficava na região de Osasco, em São Paulo.

1983

Em 1985, Roberto Palhares adquire o Instituto Radiotécnico Monitor e torna-se o novo proprietário, nomeando a escola a partir deste momento apenas de Instituto Monitor.


De representante da primeira escola de curso a distância, a nível mundial, para dono da pioneira em EAD, a nível nacional, a história da educação a distância estava sendo reescrita.

1985

Morre Nicolás Goldberger aos 83 anos. Em 1993, o editorial da revista “Saber Eletrônica” do mês de Abril credita ao Instituto Monitor a responsabilidade pela formação do polo eletroeletrônico da Santa Ifigênia. Ocorre a fusão das Escolas Internacionais e o Instituto Monitor.

1992

Pela Deliberação Estadual, os cursos do Instituto são credenciados para atuar em nível Supletivo e Técnico. Nesse mesmo ano, é criada a ABED - Associação Brasileira de Educação a Distância. No ano seguinte, o MEC cria a Secretaria de Educação a Distância. Em paralelo, o Instituto Monitor realiza o I Seminário de Marketing Escolar no Brasil, evento anual que chegaria à 9ª. edição em 2003. As escolas passam a utilizar parte de seu capital para investimentos em Marketing, como forma de sobrevivência em um mercado que já se tornava altamente competitivo. A experiência de sucesso do Instituto Monitor é compartilhada por grandes grupos educacionais que despontam no mercado.


1995

Com o advento da internet, o Instituto Monitor passa a comercializar cursos pela rede mundial de computadores em uma iniciativa inovadora. A maioria das escolas passa a copiar este método muitos anos depois, assim como grandes redes varejistas, nascendo então o e-commerce no Brasil.

Neste mesmo ano, o Instituto Monitor passa a realizar parcerias com empresas públicas e privadas, oferecendo o curso a distância como metodologia capaz de fazer a educação romper barreiras territoriais e otimizar custos. Para cumprir esta tarefa, foi criada a divisão corporativa do Instituto Monitor: Monitor Corporate. Neste período, o Instituto Monitor atinge a fabulosa marca de 5 milhões de alunos.

1997

O prédio da Rua dos Timbiras passa por reformas. O Instituto Monitor produz um sistema de banco de questões com metodologia própria para a produção de provas de conhecimento. O sistema inovador permite separar questões por grau de dificuldade, definindo um balanço equilibrado na aplicação de provas. Neste mesmo ano, Roberto Palhares é eleito Diretor de Educação a Distância pela ABED, e reeleito no ano seguinte.

2003

O Instituto Monitor lança o Anuário Brasileiro Estatístico de Educação Aberta e a Distância no Seminário da ABED. É a primeira iniciativa de parametrizar a importância da Educação a Distância no país, através de estatísticas nunca antes realizadas. Neste mesmo evento, o Instituto recebe homenagens por seu pioneirismo e lança a metodologia própria para e-learning. Começam os planos de uma nova sede, atuando em todos os níveis de educação.

2005

O Instituto Monitor adquire edifício próprio, uma imponente torre de vidro de 12 andares na Avenida Rangel Pestana, junto ao Parque Pedro II. O edifício com quase 7 mil metros quadrados visa captar alunos para o ensino presencial e iniciar os preparativos para uma faculdade. Foram criadas as divisões: Monitor Intercâmbio, Monitor Informática, Monitor Concursos, além da diversificação dos cursos técnicos em todas áreas do conhecimento.

2008

Instituto Monitor fecha o primeiro grande projeto para fornecer o Curso Corretor CRECI TTI para empresas do segmento imobiliário e faz mais de 4.000 matrículas em 4 meses.

2011

O Instituto consolida sua liderança no segmento imobiliário, tornando-se a maior escola de formação de Corretores (já era a maior em formação de Chaveiros). Abertura dos Polos de Campinas, São Carlos, São José do Rio Preto e Sorocaba, consolidando a estratégia de ampliar a presença territorial e facilitar o acesso aos alunos do interior de São Paulo, uma das regiões mais produtivas do Brasil.

2013

Abertura do Polo de Sorocaba. Lançamento de novos cursos e modalidades.

2014

Abertura do Polo de Mogi das Cruzes, Santo André, Santos e Votuporanga.

2017

Lançamento da Faculdade Monitor com Nota 4 do MEC e os cursos presenciais de Administração e Ciências Contábeis.

Lançamento do novo site da Faculdade, um dos mais modernos do segmento, com navegação e busca facilitada.

Abertura dos Polos de Itatiba, Penápolis, Catanduva e Santa Cruz do Rio Pardo.

2018

Instituto Monitor faz 80 anos e supera a marca de 6 milhões de alunos.

Lançamento do Programa de Afiliados do Instituto Monitor.

Lançamento do Curso Técnico Redes de Computadores. Aprovação do Curso Técnico de

Segurança do Trabalho em São Paulo (já estava aprovado no Rio de Janeiro).

Criação dos Programas de Extensão, Pós e MBA da Faculdade, com Design Instrucional,

Inteligência Emocional para Mulheres e Visagismo, entre outros.

Abertura dos Polos de Araçatuba, Botucatu e Presidente Prudente. Abertura do primeiro Polo no Distrito Federal, em Taguatinga.

2019

Abertura do Campus Minas Gerais do Instituto Monitor, com sede em Belo Horizonte.

Lançamento do Curso Técnico em Enfermagem, com laboratório de última geração.

Lançamento de novos cursos Profissionalizantes, como Conserto de Celulares.

Aprovação dos Cursos de Direito, Engenharia Civil e Engenharia de Produção da Faculdade Monitor (todos nota 4) e do Curso de Tecnólogo em RH, nota 5.

Monitor fecha parceria com Microsoft Education para fornecer 2 milhões de licenças de Office 365 para seus alunos.

Abertura do Polo de Piracicaba.

2020